Mensagens recentes

Páginas: [1] 2 3 4
1
Samples, Plugins e Software / [Plugin] Wider by Polyverse
« Última mensagem por clownik em Maio 24, 2018, 01:28:47 pm »


Gostam da qualidade Mid/Side das misturas de Infected Mushroom?

Plugin da Polyverse para aumentar a imagem stereo de qualquer sinal, e mantendo a compatibilidade MONO !!!!!! Grátis !!!!!
2
Gravação, Mistura e Masterização / The art of mixing
« Última mensagem por clownik em Maio 15, 2017, 01:18:54 pm »
Para quem não conhece, aqui fica uma série de vídeos que apesar de antigos, continuam a ser praticamente essenciais :)

4
Excelentes partilhas JRes, sem súvida que serão uma mais valia para todos nós :)
5
Na ultima aula falamos de todas as notas existentes juntamente com os seus respectivos acidentes ou seja:

C
C#/Db
D
D#/Eb
E
F
F#/Gb
G
G#/Ab
A
A#/Bb
B


Vamos agora aplica-las a escalas.

Escala Maior:

Uma escala e definida por um conjunto de notas com intervalos (espaco entre notas) especificos.

A formula para a escala maior e:

T T S T T T S

T = um tom
S = semi tom ou meio tom


Cada uma destas letras e conhecida como um grau que e definido pela posicao da mesma em relacao a tonica (primeiro grau)

Ou seja, uma escala maior e um conjunto de sete notas cujas quais existe um intervalo de meio tom do terceiro para o quarto, e do setimo para o oitavo grau (a mesma nota do primeiro grau mas uma oitava acima)

Se definir-mos o primeiro grau como C vemos que todas as outras notas naturalmente respeitam os intervalos da escala maior, ou seja C maior e uma escala sem acidentes:



No teclado se tocarmos so nas teclas brancas de C ate C temos a escala maior de C:



E aqui esta a mesma escala no sistema CAGED na guitarra (iremos falar deste mesmo sistema mais tarde) em que o C sao os pontos pretos:





Agora vamos construir a escala de D maior, comecando em D e acabando em D ficamos com:

D E F G A B C D

Vemos que os meios tons nao respeitam a regra de TTSTTTS da escala maior, neste caso os meios tons estao no segundo grau e no sexto grau, temos entao afastar o F do E e o C do B, para tal vamos utilizar acidentes entao ficamos com:

D E F# G A B C# D







Aqui vemos a escala na pauta, no entanto se estamos a compor uma musica com ritmo e melodia complexa e muito dificil para o leitor identificar a escala em que a musica se encontra se todos os acidentes estiverem espalhados pela pauta.
Entao para resolver esse problema os sustenidos sao colocados logo a seguir a clave de sol em que afecta todas as notas no mesmo sitio do acidente de forma a identificar facilmente a escala em que esta encontra pelo numero de sustenidos:




No entanto esta forma de calcular as escalas nao e eficiente vamos entao aprender uma forma em que facilmente podemos calcular todos os sustenidos e bemois de uma escala e para isto vamos utilizar o Ciclo das quintas.



Ciclo das quintas:

Vamos pegar na nota de C e e saltar para o quinto grau da escala maior, (tambem chamado de um intervalo de quinta que se designa por uma distancia de 3 tons e 1 meio tom) ou seja um G.
Agora vamos fazer o mesmo com o G e chegamos ao D.

O ciclo das quintas e exactamente isto uma sequencia de intervalos de quinta que possibilita o calculo do numero de sustenidos numa escala, e das notas especificas onde eles se encontram.

vamos ver isto na pratica com uma regra simples calculando os sustenidos:

Vamos entao comecar com esta sequencia de quintas na vertical comecando em C e acabando em C sendo C o nosso ponto de partida, ou seja o ponto zero, pois nao tem sustenidos.

C
G
D
A
E
B
F
C


Agora vamos preencher cada letra com todas as notas naturais ate chegarmos ao setimo grau no C (o nosso ponto zero)

C D E F G A B
Agora vamos fazer o mesmo com o G e adicionar um sustenido no setimo grau:
G A B C D E F#
Agora vamos pegar no sustenido que ja tinhamos no G e manda-lo para o D e adicionar outro sustenido no setimo grau:
D E F# G A B C#
Agora vamos pegar nos dois sustenidos da escala anterior, passa-los para o A e adicionar outro sustenido no setimo grau:
A B C# D E F# G#
Agora vamos seguir esta regra para todos os restantes:
E F# G# A B C# D#
O mesmo no B...
B  C# D# E F# G# A#
No caso do F a propria tonica fica sustenida pois na escala maior de F nao existem sustenidos (ver abaixo)
F# G# A# B C# D# E#
E por fim no C# em que todas as notas sao sustenidas
C# D# E# F# G# A# B#

Estamos basicamente a pegar nos sustenidos de uma escala maior, passa-los para a escala maior que esta uma quinta acima e acrescentar um sustenido no setimo grau.


Vou-vos agora ensinar uma forma simples de rapidamente memorizar este sistema.
Basicamente temos de decorar duas coisas:

1 - Quantos sustenidos estao numa escala
2 - Quais sustenidos estao nessa escala

1 - Para decorarmos a quantidade de sustenidos existe uma forma simples utilizando uma caneta e um papel, escrevendo as letras de cada nota de uma forma especifica e contando o numero de de vezes que a caneta entra em contacto com o papel.

Sera mais facil explicar-vos com um video:

Devo adicionar que as letras tem de ser desenhadas de uma forma especifica, logo a unica coisa que tem de decorar e a forma como elas sao desenhadas!

Para decorar-mos a ordem em que eles aparecem so temos de nos lembrar da seguinte frase:

Father
Christmas
Gets
Drunk
And
Eats
Babies

Ou em alternativa, em portugues sendo Fa, Do, Sol, Re, La, Mi, Si podemos decorar a frase:

A fada ao sol reza a missinha

Juntando tudo na pratica vamos calcular os sustenidos da escala de B

Sabemos que se desenharmos o B pontiagudo fazemos em 5 linhas, logo tem 5 sustenidos.
E pela frase Father Christmas Gets Drunk And sabemos que sao
F C G D e A.


Agora vamos calcular os bemois de uma escala maior, tal como nos sustenidos necessitamos de saber:

1 - O numero de bemois
2 - A ordem em que aparecem na escala

1- Para calcular o numero de bemois vamos utilizar a seguinte formula:

7-#=b

Ou seja o numero de bemois e igual a 7 menos o numero de sustenidos, vamos ver isto na pratica:

Queremos calcular o numero de bemois na escala de Eb por exemplo.

Primeiro vamos calcular os sustenidos, conseguimos desenhar o E com 4 linhas logo sabemos que tem 4 sustenidos, agora vamos aplicar a regra:

7-4#=3b

Sabemos entao que Eb tem 3 bemois

2 - Podemos ver o ciclo dos bemois como um espelho do ciclo dos sustenidos, logo o mesmo se aplica a ordem de cada um deles se na ordem de sustenidos temos:
F C G D A E B
A ordem dos bemois vai ser ao contrario:
B E A D G C F

Uma a frase que eu usei para decorar foi:
Baby
Eats
A
Donut
Gets
Crap
Farts

xD :o ;D :P

Exercicio:
Criarem as vossas proprias frases para decorarem a ordem dos sustenidos: F C G D A E B. E a dos bemois: B E A D G C F


Para terem uma ideia geral aqui esta num diagrama tudo aquilo que fala-mos juntamente com o ciclo das quintas da escala menor, algo que vamos estudar mais tarde:



E para terminar como falamos atras aqui esta a forma de desenhar os acidentes na pauta, cada um deles afecta qualquer nota que apareca no mesmo sitio onde o acidente se encontra, assim somente contando o numero de acidentes e facil identificar-mos a escala em que a musica se encontra:


Cumprimentos a todos e vemo-nos na proxima aula! ;)
6
Composição, Arranjo e Teoria / [Teoria Musical] - Alfabeto Musical e Componentes Basicos
« Última mensagem por JRes em Janeiro 16, 2017, 10:17:29 pm »
Boas pessoal, como prometido gostava de partilhar com voces tudo aquilo que tenho aprendido durante o meu percurso escolar na BIMM. Antes de mais gostaria de esclarecer alguns pontos para os interessados:

1 - Estou neste momento a frequentar uma licenciatura (BA Hons) Professional Musicianship aplicada a guitarra em Inglaterra, e irei aplica-la juntamente com diagramas para o teclado de forma terem um conhecimento geral de ambos os instrumentos, no entanto tenham em conta que sera sempre mais focado em guitarra, pois o meu curso esta completamente desenhado para tal, mais abaixo irem postar um link para um VST que converte o sinal analogico da guitarra para midi de forma a conseguirem controlar todos os vossos synths favoritos com a guitarra.

2 - O meu metodo de ensino vai ser baseado na numenclatura Inglesa  ou seja em vez do "Do, Re, Mi, Fa, Sol, La, Si" iremos estudar no formato de "C, D, E, F, G, A, B", pois qualquer DAW/VST/VSTi utiliza esta mesma numenclatura, o que significa que a aplicacao da mesma no ambito pratico sera mais facil.

3 - O objectivo destes tutoriais tal como o do meu curso e dar-vos uma visao geral de cada estilo aplicado a teoria de forma a terem um leque vasto de ferramentas que poderao aplicar seja em ambiente auto-criativo, ou profissional.

4- Tambem eu estou a aprender, se ainda nao dei a materia tambem nao vos conseguirei esclarecer no entanto deixo o incentivo para me fazerem qualquer tipo de pergunta, estarei activo no forum, e tentarei explicar de qualquer forma possivel qualquer duvida que tenham.

5 - Desde ja peco desculpa pela falta de acentos e cedilhas pois estou a escrever num teclado ingles.


Link para Guitar to MIDI converter: http://www.jamorigin.com/products/midi-guitar/


Entao vamos la ao que interessa!  8)

Alfabeto Musical e Componentes Basicos:
Todos nos sabemos desde a flauta na primaria que existem 7 nomes diferentes para as 7 notas diferentes existentes numa escala diatonica (iremos falar deste termo mais tarde) e estas sao:

Do  = C
Re  = D
Mi  = E
Fa  = F
Sol = G
La  = A
Si  = B


Cada uma destas notas representa uma distancia especifica entre dois pontos seja no teclado ou na guitarra exemplo:



Como vem, Do = C para Re = D e uma distancia de dois trastes.



No teclado C para D tem uma distancia de uma tecla branca.



Na pauta e a distancia entre uma nota em cima da lina e uma nota entre linhas.

Este tipo de intervalo entre duas notas chama-se 1 tom

Dentro destas 8 notas C D E F G A B C a distancia entre elas nao e igual, a distancia entre o E e o F tal como a distancia entre o B e o C sao distancias de 1/2 tom.

E por isso que no teclado nao existe tecla preta entre o E e o F nem o B e o C.

Protip: Uma forma facil de decorar onde estao as notas com meios tons e lembrarem-se que sao sempre aquelas que acabam em "i" ou seja Mi e Si.



E na guitarra a distancia destas duas notas e so de um traste.



Na pauta a designacao mantem-se inalterada.



Acidentes:

Acidentes sao simbolos utilizados na numenclatura musical com o proposito de alterar a "altura" das notas,
os mais conhecidos sao o sustenido ou sharp designado pelo simbolo "#" e o bemol ou flat designado pelo simbolo "♭" ou "b"  (Existem outros acidentes chamados duplo sustenido e duplo bemol no entanto nao iremos menciona-los por agora.) Tambem podem ser vistos como as notas que estao entre as notas principais diatonicas:

Sustenido:

os sustenidos sao acidentes que aumentam a altura da nota por meio tom ou seja um C# e a nota que se encontra entre o C e o D por exemplo:



Bemol:

O bemol diminui por meio tom a altura da nota ou seja um D♭ esta entre o C e o D, sonoramente e igual
ao C# e ira depender do contexto como a nota sera identificada.

No piano o sustenido e o bemol tambem sao conhecidos como as teclas pretas:



Na pauta estes sao sempre escritos a esquerda da nota afectada:



o terceiro simbolo "♮" tem como funcao cancelar os acidentes anteriores nao iremos falar dele por agora.


Cumprimentos musicais!


7
Composição, Arranjo e Teoria / [Tutorial] Techno bass - Sylenth1
« Última mensagem por clownik em Julho 14, 2016, 02:54:01 pm »
Aqui fica mais um tutorial de como criar um baixo de techno com o famoso sylenth 1, vale muito a pena.

8
Gravação, Mistura e Masterização / Reverse do reverb num sample de voz by Menog
« Última mensagem por clownik em Maio 30, 2016, 12:07:25 pm »
9
Conversa Geral / Re: Apresentação de novos membros
« Última mensagem por clownik em Maio 25, 2016, 02:09:24 am »
Boas Pessoal! O meu nome é João Resende, sou musico guitarrista desde os meus 14 aninhos, ja com alguns projectos ás costas, frequentei dois anos de produção musical na ETIC, e completei o curso de Cubase Expert na AudioLabs, trabalhei por um curto periodo de tempo como tecnico de som a gravar dobragens para series animadas, e fiz alguns trabalhos de freelancer, gravações de bandas, peças de teatro.
Encontro-me neste momento em Inglaterra para tirar uma licenciatura de Professional Musicianship na BIMM, e estou desejoso de partilhar o que irei aprender com voces!

Um forte abraço à equipa da AudioLabs, nomeadamente ao João Apell, pois aprendi mais com ele em 4 meses do que dois anos na ETIC.
Deixo-vos com um link para o meu site pessoal
http://jvrguitar.wix.com/john-r
8) 8) 8) 8) 8)

Sê muito bem-vindo JRes, aguardamos as tuas partilhas :)
10
Conversa Geral / Re: Apresentação de novos membros
« Última mensagem por JRes em Maio 24, 2016, 08:47:21 pm »
Boas Pessoal! O meu nome é João Resende, sou musico guitarrista desde os meus 14 aninhos, ja com alguns projectos ás costas, frequentei dois anos de produção musical na ETIC, e completei o curso de Cubase Expert na AudioLabs, trabalhei por um curto periodo de tempo como tecnico de som a gravar dobragens para series animadas, e fiz alguns trabalhos de freelancer, gravações de bandas, peças de teatro.
Encontro-me neste momento em Inglaterra para tirar uma licenciatura de Professional Musicianship na BIMM, e estou desejoso de partilhar o que irei aprender com voces!

Um forte abraço à equipa da AudioLabs, nomeadamente ao João Apell, pois aprendi mais com ele em 4 meses do que dois anos na ETIC.
Deixo-vos com um link para o meu site pessoal
http://jvrguitar.wix.com/john-r
8) 8) 8) 8) 8)
Páginas: [1] 2 3 4